Umidificadores de Eletrôdos Imersos

  • Mais

    • Sistema AFS (Sistema Antiespumante): detecta espuma para evitar a liberação de gotículas com o vapor;
    • Funciona em tubulações de água com condutividade entre 75 e 1250 µs/cm e o seu software de controle ajusta automaticamente o funcionamento de acordo com as características da água com o objetivo de otimizar a vida útil sem manutenção.
    • Clindros grandes, eletrôdos galvanizados e filtro anticalcário situados no fundo para um funcionamento ampliado sem a necessidade de manutenção; são disponíveis também cilindros que se abrem;
    • Produção de vapor com modulação contínua de 20% até a capacidade máxima (10% para modelos com dois cilindros);
    • Sensor de condutividade incorporado e software de controle para otimizar a eficiência energética e os custos de manutenção com uma performance constante ao longo da vida útil do cilindro;
    • Drenagem automática de água após 3 dias de inatividade;
    • Escolha entre três controladores: "Y" (proporcional ou ON/OFF no controlador externo e botão de apresentação), "X" (modulação com controlador incorporado baseado na tecnologia pCO e alfanumérico e visor gráfico com mensagens de texto ampliadas),"W" (semelhante ao "X" mas dedicado aos banhos de vapor);
    • Modelo "X" gerencia um sensor limitador, utilizado para limitar a umidade relativa máxima na saída, evitando a formação de condensação no tubo.
  • Características gerais

    O funcionamento dos eletrôdos umidificadores imersos é baseado em um princípio físico muito simples. Como a água potável comum contém uma determinada quantidade de sais minerais não dissolvidos, e é consequentemente ligeiramente condutora, ao aplicar uma voltagem aos eletrôdos de metal imersos na água, cria uma corrente elétrica que aquece a água (efeito Joule) até ferver, produzindo vapor.
    A quantidade de vapor produzido é proporcional à corrente elétrica que, por sua vez, é proporcional ao nível de água.
    Esta corrente elétrica é medida por um transformador de corrente: ao variar o nível de água utilizando uma válvula solenoide de enchimento e devido ao processo de evaporação, a corrente, e consequentemente a produção de vapor, pode ser modulada. Devido à evaporação, o nível de água diminui e deve ser reabastecido. Quando o vapor produzido não consegue transportar os sais minerais, a concentração de sal na água, ou seja, a condutividade aumenta e deve ser diluída periodicamente drenando parte dela através de uma bomba de drenagem e substituindo-a com nova água.
    Além disso, com o decorrer do tempo forma-se uma escama que cobre parte do cilindro que deve ser substituído ou limpo. O princípio é simples mas o desenvolvimento de um umidificador de elétrodo imerso que assegure funcionamento seguro e confiabilidade com o decorrer do tempo requer uma análise cuidadosa e testagem extensa.
    Comparados ao aquecedor elétrico ou aos umidificadores de disparo a gás, os elétrodos com umidificadores imersos:
    • custam menos;
    • funcionam com água potável (não completamente desmineralizada ou suavizada);
    • necessitam de substituição periódica (ou limpeza) do cilindro;
    • possuem uma modulação adequada para o conforto ou aplicações industriais sem requisitos extremos.
    A CAREL fabrica elétrodos umidificadores imersos desde a década de 1970 e utiliza o benefício do conhecimento técnico no campo de controladores eletrônicos: controle de precisão, eletrônica confiável e software de controle sofisticado e completo.
    As soluções CAREL para elétrodos umidificadores imersos são o humiSteam e o compactSteam. The operation of immersed electrode humidifiers is based on a very simple physical principle. As common drinking water contains a certain quantity of dissolved mineral salts, and is consequently slightly conductive, applying a voltage to metal electrodes immersed in the water creates an electric current that heats the water (Joule effect) until boiling, thus producing steam.

    The quantity of steam produced is proportional to the electric current, which is in turn proportional to the water level.
    This electric current is measured by a current transformer: by varying the level of water using a fill solenoid valve and due to the evaporation process, the current, and consequently steam production, can be modulated. Due to evaporation, the level of water decreases and must therefore be topped up. As the steam produced does not carry mineral salts, the salt concentration in the water and therefore the conductivity increases, and has to be periodically diluted by draining part of it using the drain pump and replacing it with new water.
    In addition, scale forms over time and covers part of the cylinder, which must be replaced or cleaned. The principle is simple, however the development of an immersed electrode humidifier that ensures safe operation and reliability over time requires careful analysis and extended testing.
    Compared to electric heater or gas-fired humidifiers, immersed electrode humidifiers:
    • are less expensive to purchase;
    • operate with drinking water (not completely demineralised or softened);
    • require periodical replacement (or cleaning) of the cylinder;
    • feature modulation suitable for comfort or industrial applications, without extreme requirements.
    CAREL has been manufacturing immersed electrode humidifiers since the 1970s and can draw benefit from its know-how in the field of electronic controllers: precision control, reliable electronics and sophisticated and complete control software.
    The CAREL solutions for immersed electrode humidifiers are humiSteam and compactSteam.